Contato: +41 43 322 0206

Ministério

Os líderes de ministérios

Que sejam realmente líderes, no teor da palavra, e não chefes de um grupo, que sejam “pastores” das pessoas que compõe seus departamentos e que os preparem, desenvolvam, motivem e exortem em direção aos objetivos comuns, visando potencializar as ações do líder do ministério.

Pessoas que saibam formar equipes vencedoras e motivadas a alcançar a visão que Deus deu ao nosso  Líder primaz.

Em resumo, o líder que atende ao chamado que Deus lhe fez, não pode se dar ao luxo de ter pessoas despreparadas para uma nova realidade em que vivemos, por mais que estas sejam boas, corretas ou amáveis.

Pessoas que eram ótimas no passado podem não ser agora, caso não tenham se atualizado e compreendido as mudanças pelas quais estamos passando.

Portanto líder procure cercar-se de pessoas, além de fiéis ao Senhor, competentes nas diversas tarefas do seu ministério, escolhendo as pessoas certas nos lugares certos. Desta forma, você alcançará as metas e objetivos que tanto sonha.

NOSSA CONFISSÃO DE FÉ 

Em Que Cremos
1- Relacionado Com a Trindade Divina.

Cremos na existência de um único Deus eterno, pessoal, eternamente existente em três pessoas distintas: Pai, Filho e Espírito Santo. Cremos em Deus Pai, nunca visto por homem algum, que é Espírito, e, portanto, desprovido de corpo físico, mas que foi revelado por seu Filho, encarnado, Nosso Senhor Jesus Cristo.

Cremos em todos os Seus atributos divinos conforme estão expressos na Bíblia Sagrada.

Cremos no Senhor Jesus Cristo, como Filho de Deus, igual ao Pai e ao Espírito Santo, em divindade e atributos.

Cremos no seu nascimento virginal, na sua perfeita humanidade, na sua vida imaculada, nos Seus milagres, na Sua morte vicária e expiatória, na sua ressurreição corpórea, na sua ascensão ao céu na sua atual intercessão e mediação.

Cremos na Sua segunda Vinda em duas fases distintas: a primeira, para arrebatar a Igreja, antes da grande Tribulação, ressuscitando os crentes fiéis e transformando os crentes vivos, arrebatando-os para o Céu. A segunda, para estabelecer o Seu Reino Milenar.

Cremos no Espírito Santo.

Cremos na Sua personalidade, divindade e atividade, que opera a conversão e regeneração do pecador. Igual ao Pai e ao Filho em divindade e atributos.

2- Relacionado Com as Sagradas Escrituras.

Cremos na inspiração verbal da Bíblia, infalível e depositária da verdade e revelação divina.

Cremos na sua suprema autoridade como única e suficiente regra de fé e prática. Cremos na sua inerrância e perfeição em tudo o que declara.

Cremos na Bíblia como um todo harmónico, com os seus grandes princípios imutáveis. Sentimo-nos obrigados por tudo o que a Bíblia diz, e não por aquilo que ela omite. Seguimos o que está expressamente revelado, e não o subentendido ou acrescentado ao seu texto.

Como ministros da Palavra ensinamos toda a Escritura interpretando-a corretamente de acordo com a hermenêutica bíblica.

3- Relacionado Com o Homem.

Cremos que o Homem foi criado por Deus à sua imagem e semelhança para viver em eterna comunhão com Ele.

Cremos na queda e na consequente depravação total e universal do ser humano, que o destitui da glória de Deus, e que apenas o arrependimento e a fé na obra redentora de Cristo o poderá restaurar a Deus.

Cremos na necessidade do novo nascimento, e regeneração pela fé em Cristo. pela operação do Espírito Santo e da Palavra de Deus.

Cremos no perdão dos pecados através de Jesus e Sua expiação; cremos na Salvação eterna e perfeita como uma dádiva da graça divina, na justificação pela fé no sacrifício de Jesus Cristo feito no Calvário.

Cremos na santificação instantânea, e na necessidade e possibilidade da santificação progressiva dos crentes, tanto no interior como no exterior, ou seja, no espírito, alma e corpo, e que essa santidade se pauta:

a) Por uma separação do mundo e do que no mundo há;
b) Por uma vida simples, isenta de vaidade e extravagâncias;
c) Por uma semelhança cada vez maior com Cristo e Seus padrões imaculados, o que equivale a uma diferença e distância cada vez maior do mundanismo;
d) Pela diferença clara e bíblica entre os sexos.
4- Relacionado Com o Batismo nas Águas.

Cremos no Batismo nas Águas efetuado por imersão em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Este batismo só deve ser ministrado a pessoas realmente convertidas, nascidas de novo, que evidenciem de forma inequívoca os frutos da nova vida em Cristo.

Cremos que o batismo nas águas é a porta de entrada para a membresia da Igreja local e para a participação na Ceia do Senhor.

Não ministramos o batismo a pessoas em situação irregular no matrimonio, ou com situações pendentes ou duvidosas que contrariem os princípios bíblicos.

5- Relacionado Com a Ceia do Senhor.

Cremos na Ceia do Senhor como um memorial da morte, ressurreição e segunda vinda de Cristo, a qual deve ser ministrada só aos crentes biblicamente baptizados e fiéis.

6- Relacionado Com o Espírito Santo.

Cremos no importante trabalho do Espírito Santo, na preparação da Igreja e dos crentes individualmente, guiando, fortalecendo, enviando, etc.

Cremos no batismo no Espírito Santo, com a evidência inicial de falar em outras línguas como forma de edificação pessoal.

Cremos na atualidade e necessidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à sua Igreja para o que for útil.

7- Relacionado Com a Cura Divina.

Cremos na atualidade da Cura Divina como resultado da obra de Cristo no Calvário, dependente da soberania de Deus.

Cremos que nem todas as doenças são de procedência de espíritos malignos ou consequência de pecados específicos, embora uma coisa e outra possam também acontecer.

Cremos que podemos receber a Cura Divina, em nome de Jesus, como resultado da oração da fé e também através da operação dos dons espirituais, conforme ensina a Bíblia.

8- Relacionado com a Ressurreição.

Cremos na ressurreição dos mortos, tanto dos salvos como dos perdidos, que ocorrerá em duas ocasiões distintas.

9- Relacionado com o Juízo Final e o Estado Eterno.

Cremos no juízo vindouro e na vida eterna de gozo e bem-aventurança dos santos, e na morte eterna como castigo de todos os perdidos.

Cremos nos Novos Céus e na Nova Terra como lugar de habitação eterna dos justos.

10- Relacionado com a Igreja.

Cremos que a Igreja de Cristo é constituída por todas as pessoas remidas e nascidas de novo, vivendo em santidade de vida e separadas do mundo.

Cremos que o governo da Igreja local deve ser teocrático no que se refere à doutrina e direção espiritual, e consensual no que se refere à administração, finanças, nomeação e reconhecimento dos seus oficiais.

Os crentes deverão ser consultados e informados periodicamente da administração e uso do dinheiro.

11- Relacionado com os Anjos e Demônios.

Cremos na existência de anjos bons que servem a Deus e aos herdeiros da salvação, e de anjos maus: Satanás e os demônios.

Cremos que os remidos por Cristo não podem ser possuídos por demônios no seu todo ou em áreas específicas, salvo se deixarem o Senhor e voltarem ao pecado.

12- Relacionado Com a Salvação.

Cremos que a salvação é fruto da graça de Deus; é uma obra perfeita e completa do Senhor Jesus Cristo, que envolve o homem total (espírito, alma e corpo), aceite mediante a fé.

Cremos que a Salvação é recebida no momento da conversão, mas que pode perder-se se crente não permanecer fiel a Deus e à Sua Palavra.

13- Relacionado Com o Culto.

Cremos que o culto ao nosso DEUS deve ser caraterizado pelo louvor, adoração, oração, fervor, fé, pregação da Palavra e operação do Espírito Santo com manifestação dos dons espirituais, através da participação individual dos crentes, pautada pela ordem e decência.

Cremos que não devem ocorrer no culto ao nosso DEUS práticas anti bíblicas, mas antes o equilíbrio entre a adoração, louvor, oração e pregação da Palavra de Deus.

14- Omissões à Presente Declaração.

Esta declaração tem apoio nos textos expressos da Bíblia Sagrada, e tudo o que for omisso, remetemos para os princípios e preceitos claramente expressos na Escritura.

NOSSA MISSÃO

Durante todo o tempo que Jesus Cristo esteve aqui na terra, ele nos deixou muitos ensinamentos, e demonstrou ao mundo a sua maior missão através do seu grande amor por nós, que era libertar e salvar a humanidade. Aos seus discípulos, foi dada a missão de continuar a espalhar este amor, como também fazer novos discípulos.

Nos dias atuais, é possível notar, que a igreja de Cristo vem perdendo o seu maior foco, no que se diz respeito à sua principal tarefa, que é anunciar ao mundo o grande amor de Deus. Marcos 16: 15-16.

É verdade sim, que mundo afora, os templos estão cada vez mais lotados. Mas o evangelho genuíno da Palavra, tem sido verdadeiramente pregado? Temos ensinado a essas pessoas sobre o Reino de Deus e a sua justiça?

Anunciando o evangelho

Após Jesus ressuscitar, ele aparece aos seus discípulos e lhes dá esta ordenança: Marcos 16: 15 “Ide por tudo mundo , pregai o evangelho a toda criatura”. No versículo 16: “ Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer, será condenado.”

O IDE, faz referência a uma das 3 ordenanças de Jesus, que Ele deixou para a sua igreja. Não temos dúvida, que a principal missão da igreja é anunciar o evangelho a toda humanidade.

Espalhar este amor, que um dia nos comprou com seu precioso sangue. Isto, por mais que seja uma ordenança, isso repercute naturalmente num cristão convertido.

O testemunho pessoal

Pela graça que nos foi dada, recebemos paz e alegria em nossos corações. Nosso modo de agir e pensar, vão mudando na proporção em que conhecemos ao Senhor Jesus. O primeiro anúncio que damos ao mundo, é o nosso testemunho de vida!

Nada substitui o bom exemplo. Há uma mudança real que é gerada em nós, vinda de dentro para fora, quando nos permitimos que o Pai mude nosso interior.

Nada adiantará pregarmos evangelho somente com palavras, se não nos convertermos de coração, com nossas atitudes. Se possuirmos um coração sincero e arrependido, o Espírito do Senhor nos conduzirá diariamente ao processo de santificação.

O que nos permitirá, ser conduzidos pelo próprio Espírito de Deus em nossas palavras, quando estivermos diante dos homens. E não somente isto, mas avançando em graça e conhecimento, para anunciarmos com ousadia as boas novas do evangelho da paz.

O amor ao próximo

A bíblia diz em 1 João 4:20, que como dizemos que amamos a Deus a quem não vemos, e não amamos ao nosso próximo a quem vemos.

Em outra passagem, Gálatas 5:14 parte b: amarás pois ao teu próximo como a ti mesmo. Amá-lo como a mim mesmo, significa, fazer por ele, como se estivesse fazendo pra mim mesmo.

Temos a missão de cuidar um dos outros e ajudar-nos na obra de Deus. De nada valerá, buscar estar na congregação todos os dias, se desconsidero os problemas e aflições que vive o meu próximo.

Não nos conformar com este mundo

E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento. Romanos 12:2

Tudo neste mundo tenta nos parar à todo instante. Perseguições, tentações, dificuldades e opressões. Precisamos lembrar que não somos daqui, estamos de passagem neste mundo. Então, diante das dificuldades desta vida, devemos sempre olhar além delas. Entender que a nossa missão não pode parar por nada que está aparente aos nossos olhos .

QUEM SOMOS

Tudo teve seu início atraves da vida do nosso apóstolo Ezaú Casales, filho de Helenita Casales e Arlindo de Jesus (in memoriam), Ezaú Casales, nasceu no dia 04 de Janeiro de 1962 em Jequié – BA. Casado com a Apóstola Ana Patrícia Casales, sete filhos: Kelly, Kleyse, Carlos   Jader, Clarissa, Cassia Vitória, Cayo Gabriel e Cayanne Gabriella.

Na adolescência e juventude, com aproximadamente 16 anos de idade, na empolgação no meio dos adolescentes na época,  tatuei em meu corpo nos músculos, braço direiro e braço esquerdo. Naquele tempo era terminantemente proibido tatuagens, principalmente na cidadezinha onde morava, e além de tudo como filho de pastor, meu DEUS , uma experiência que não tem como  esquecer. Neste tempo formei um grupo de amigos que tinha como objetivo buscar a DEUS em espírito e verdade. Assim, todos os dias em dedicação à alguma atividade do Evangelho – cultos na igreja, ao ar livre, nas casas, evangelismo nas ruas. Diante da forte disciplina imposta por meus pais evangélicos,  nunca tevi envolvimentos com drogas, ou quaisquer outros tipos de vícios.Tevi  momentos de fraqueza, desilusões, sofrimento, euforia, utopia, derrotas, e tudo isto na tentativa de acertar, e fazer de fato o que era certo.

Eram tempos difíceis, quando o Evangelho ainda não havia ganho a midia e crentes eram alvo de preconceitos e discriminação, a luta era muito grande, porém  nunca desisti. Nada me desanimava. As pregações começaram nesta época, quando tinha 17 anos. Todos os momentos eram propicios para entregar uma Palavra a alguém – fosse evangélico ou não. Nas cidades vizinhas,  começou a ficar conhecido pelo fogo e autoridade com que pregava, levando muitos a serem batizados com o Espírito Santo e entregar sua vida a Jesus Cristo.

Em 1979, sai de minha Cidadezinha natal e fui com minha mãe para São Paulo, Cidade grande, tudo mudava e tudo ficava mais difícil diante de tanta agitação, corre-corre. Nesta agitação sofri um acidente, onde  hospitalizado fiquei com aminézia por 24 horas, causando ematomas fortes por todo o  corpo e deixando uma  cicatriz no lábio superior. Esta experiência me aproximou mais e mais do meu DEUS.

Conheci a Igreja do Evangelho Quadrangular na Cidade de Guarulhos – SP e logo inicei um trabalho com os jovens, o pastor logo percebeu que eu tinha um chamado e me convidou para um curso teológico no Instituto Teológico Quadrangular. Não demorou muito e já estava sendo convidado para pregar em congressos e reuniões em diversas Cidades brasileiras.

Tempos difíceis, quando passava dias viajando de ônibus num trajeto incerto com a situação financeira difícil, muitas experiências, mas graças a Deus pelo seu amor e provisão cheguei até aqui.

Atualmente presidente do MINISTÉRIO SEMEANDO EM TERRA FÉRTIL – Restaurando e Edificando Famílias, residente na Suiça (área alemã), declarando a tempo e fora de tempo que JESUS é o Senhor dos Senhores e Rei dos Reis.

Equipe de Fé

Palavra de Conscientização

O Senhor, na Sua obra, conta com pessoas que se dediquem dentro daquilo que o Senhor os chamou a fazer (Jo. 15:16; I Pe. 1:12). Todas as coisas para o Senhor devem ser feitas com dedicação, cuidado, respeito, amor (Jr. 48:10), e tudo isso muitas vezes regado com lágrimas e dores como que de parto (At. 20:19; Gl. 4:19).
Paulo sempre falou da necessidade do obreiro ter qualidades, ser preparado, experimentado, esforçado no desempenho do ministério (ITm. 3:1-16; Tt. 1:5-16).
Escrevendo a Timóteo ele fala de três coisas que todo o obreiro deve fazer bem, e é sobre isto que estarei escrevendo nas linhas posteriores. Não é minha intenção valorizar uma mais do que a outra; todas são de extrema importância dentro do desempenho ministerial, por isso as escrevo na ordem como estão na bíblia. Para a realização de todas elas há necessidade de estar firmado em toda a Verdade. Devido às nossas faltas podemos até ser mais habilidosos em alguma coisa em relação a outra, mas aí vem a humildade (faço referência a esta virtude no final do tópico sobre governar bem) para reconhecermos e aceitarmos aqueles que o Senhor tem colocado ao nosso lado, e assim ser completo, para o bom desempenho de todo o serviço cristão.
“Os presbíteros que governam bem sejam estimados por digno de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e no ensino” – “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” – “Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre bem o teu ministério
(ITm. 5:17; IITm. 2:15; 4:5)

Fechar Menu